Como Beber - Cachaça São Gonçalo do Bação

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Como Beber

Beber uma boa cachaça muita gente consegue. Mas, saber degustar, retirar todo o prazer das sensações que ela oferece, sem culpa e ressaca, isso é para poucos.

É importante saber o que há na cachaça para ser apreciado, falamos naturalmente das boas cachaças artesanais mineiras, que felizmente hoje são muitas. A partir daí é atender aos desejos dos nossos sentidos, o tato, a visão, o olfato e o paladar. Observar se a garrafa tem boa pegada, a estética do rótulo, sua coerência com o produto, com sua cor, a oleosidade da cachaça, seus aromas e sabores.

Cabe ao consumidor extrair todos os prazeres e valores incorporados no seu processo de produção, pelos quais certamente pagou.

Como apreciador antigo, e agora como produtor da São Gonçalo do Bação, vou-me permitir falar que hoje sei degustar uma cachaça. Faço do jeito certo! Aqui vou transmitir aquilo que levei décadas para aprender, o que foi prazeroso, mas confesso que houve também algumas “ressacas”.
Vamos ao aprendizado:

1º Escolha sua cachaça preferida (melhor se for a São Gonçalo do Bação, que após sete anos no carvalho é colocada a disposição dos apreciadores).

2º Escolha um copo de 50 a 60 ml, liso e transparente com base estável, de preferência cristal (sem essa “frescura” de tacinha indicada anos atrás como o copo oficial, tentativa de alguns produtores de fantasiar e dar estilo ao produto, quando isso não é necessário a uma boa cachaça).

3º Escolha um bom rebate, um alimento de sua preferência que complete o sabor da cachaça.  Aqui substituímos o termo “tira gosto”, pois soa pejorativo o que não se aplica as boas cachaças. A boa cachaça é aquela cujo sabor, que você quer manter na boca, esvai-se em 20 segundos. Ou seja, não há gosto para ser tirado.

4º Água fresca, de preferência sem gás, para ser bebida durante toda a degustação (o fígado agradece).

5º Reúna um grupo de amigos. É bom incluir mulher também. Você pode até degustar sozinho, mas cachaça é a bebida do brasileiro, da alegria, do papo descontraído (aqui vamos acabar com o conceito de cachaça boa é “tipo exportação”, quem conhece e sabe apreciar uma boa cachaça é o brasileiro. A São Gonçalo do Bação não é feita para exportação).

Atenção: um chato no grupo pode comprometer o prazer na degustação de uma boa cachaça.

6º Colocar 20 a 30 ml de cachaça no copo e levar contra a luz, observar a cor e a transparência, (a São Gonçalo do Bação, em seus sete anos de carvalho, adquiriu o tom dourado do topázio imperial). Depois, rode levemente o copo e observe a oleosidade. A boa cachaça desce suave pelas bordas como lágrimas, daí a expressão “a boa cachaça chora”.

7º Coloque o nariz no copo e inspire suavemente, uma, duas ou mais vezes, buscando todos os aromas presentes. Nesse momento, a boca deve encher d`água, se não, troque a cachaça, pois -como se diz- é difícil tomar uma boa cachaça pura, sempre mistura com água da boca.

8º O próximo passo é sorver não mais de 10ml, aproximadamente meia colher de sopa, deixando a cachaça escoar lentamente pela língua de forma a perceber a sua oleosidade e identificar os sabores presentes.

9º Aprecie o gosto por aproximadamente 10 segundos e então complete com o rebate que tiver escolhido, mas dê preferência as carnes, a um bom torresmo com mandioca, ou a um bom queijo, que também tem seu lugar.

10º Aí é papo, descontração e  alegria.

Com certeza no dia seguinte, saberá se fez tudo certo. Do contrário, é bom tentar de novo, agora, com a São Gonçalo do Bação.

Desejamos saúde e prazer, pois o que faz bem a alma, ao corpo, mal não há de fazer.

Elias Costa de Rezende
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal